7 de dezembro de 2012

Porta aberta


Abotoo a camisa; amarro o cadarço; prendo o cabelo; atarraxo o brinco; afivelo o cinto; ato o nó da pulseira; bloqueio o celular; fecho a bolsa; tranco a porta; aperto o cadeado; e vou te encontrar.

Saio com a certeza de que, por mais que me prepare para o seu olhar - abotoando; amarrando; prendendo; atarraxando; afivelando; atando; bloqueando; fechando; trancando; apertando – ele é a única coisa que não pode ser aprisionada e é também a única coisa que eu quero nesse instante.

Amo você assim, na lembrança de que antes do seu olhar todo esse enredo parecia sem desfecho; na certeza que eu só possuo esse olhar no momento que ele acontece; e na constante expectativa para os próximos olhares seus, mesmo sabendo que não há botão; amarra; presilha; fecho; tarraxa; fivela; nó; laço; cadeado; fechadura, que os garantam. E talvez essa seja toda a graça. 

2 comentários:

  1. Que lindo puro e belo. Que amor mais genuíno. Espero voltar a amar assim.

    :)

    ResponderExcluir
  2. Perfeito!!! Gostaria de ter escrito esse texto!!! Parabéns por tamanha inspiração!!!

    ResponderExcluir