29 de dezembro de 2010

O velho novo


E os sinos já tocaram. Toda a correria desenfreada pelas ruas, para se gastar o 13° salário, cessou. Todo apelo consumista da data natalina é substituído por uma “renovação da esperança” sugerida pelo Ano novo – festejo do momento. Mas você já parou para pensar o que tem de novo, de fato, no seu ano que virá? Você aproveitou bem o ano de 2010 para se tornar uma pessoa melhor? Essa “passagem”, tão emblemática, realmente carrega consigo mudanças profundas? Ou é só uma desculpa para se embebedar e usar roupas brancas sem parecer que é médico ou enfermeira?

Nos últimos dias, tenho reparado meus amigos, familiares, contatos da internet agitados com o tema "ano novo". Uns divulgam as roupas a serem usadas; outros a compra das passagens para a Europa, para o nordeste, ou para Ituiutaba mesmo; Alguns se animam com as festas open bar, que tem o convite mais caro que o estoque do buteco aqui da esquina – que poderia ser comsumido em um ano, com muitas e boas companhias. Tem aqueles que suplicam: “Acaba logo 2010!”. Tem os saudosos que pedem: “Fica mais um pouco ano velho”. Tem os metódicos traçando as metas. Os desorganizados dizendo que não deu tempo de fazer o que queriam. Tem “revellionista” para todos os gostos.

O que acho engraçado mesmo é o modo de encarar essa “virada”; esses segundos da contagem regressiva; essas uvas; essas ondas; essas lentilhas; essas moedas; e taças de espumante como se toda a transformação necessária – e não batalhada durante os outros 365 dias – estivesse ali. Um brinde entre condutores alcoolizados; cidadãos que não exercem o direito de voto com consciência; sonegadores de impostos; moradores que não cumprimentam os porteiros; patrões que tratam mal seus funcionários; maridos com atitudes machistas com suas esposas; jovens que não respeitam os idosos; tim tim, vamos lá, é ano novo!

Tudo bem, antes que eu pareça ranzinza vou me explicar: o caso não é apenas jogar pedra no ano novo e sair correndo. Sim, eu também gosto de festejar a data, mudanças de ciclo sempre são boas. Mas merecem reflexões profundas e novas atitudes, certo? Que bom seria se o que é ruim de cada um fosse jogado fora às 0h; Que bom seria se não precisássemos de hora marcada para termos os melhores gestos; Que bom seria se a hora certa para isso fosse todos os dias, o dia todo; Que bom seria se nessa hora certa um despertador disparasse, e nos acordasse para o ano novo que sempre carregamos em cada um de nós. Afinal como diria Drummond “É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre”.

4 comentários:

  1. Legal, gostei. Eu ainda não parei nem para pensar onde estarei na hora da virada de ano.
    Mas já parei para pensar o que foi o ano de 2010 para mim e meus próximos queridos. Olha, foi um ano realmente bom para mim e a imensa maioria dos meus queridos.
    Espero que 2011 possa vir assim bem também. Falar isto é como se acreditar em uma magia, em uma mágica que cada ano carrega. É mesmo um pensamento mitológico, diferente de nosso pensamento científico e racional... Mas, deixe isto para lá, já passei da fase de ser somente racional. Pois rima com radical. Sem radicalismos...
    Esforcei-me, em 2010, em voltar a ser o que já fui e perdi, e a tornar-me melhor do que já fui. Sinto que tenho atingido isto.
    Para 2011, não sei. Quero apenas agradecer pelo 2010 nota 10 para mim e meus queridos próximos.

    ResponderExcluir
  2. Pois é Fab, concordo com a senhorita. De que adianta pedidos, promessas, festas e comemorações se ali dentro da sua casa, com seus próximos, se ali no interior do coração somos frios, sérios demais e egoístas. Datas comerciais, o ciclo vem sempre no espírito, pode ser dia 31, dia 01 ou até no mês de fevereiro.

    Brindemos então ao fechamento de ciclo interno, ao aprendizado da alma. Isso sim é importante!

    ResponderExcluir
  3. Ei Fabíola. Tb fiz um texto sobre esta loucura de fim de ano, acho que vc já deve ter lido, não. Passo, então, para te desejar um 2011 com texto ainda mais gostosos de ler e todas as realizações pessoais e profissionais que você aspira.

    Com mais conciência, mais paciência, mais amor
    E menos stress, menos ansiedade, menos vaidade

    um beijo grande,

    ResponderExcluir
  4. Sensacional! Concordo com cada palavra que vc escreveu. Queria eu ter podido expressar isso tb no meu blog, rsrs!

    Beijos!!!!!

    ResponderExcluir