27 de agosto de 2010

Há de saber

Me pede para compor enquanto é dia
Com a pressa e agonia
Que convidou a com viver
Há de saber...

Que não se canta o que não sabe
E antes que o morro desabe
Ainda tem o que subir
Há de sentir...

O que insiste não ter nome
E se devora sem ter fome
E que precisa maldizer
Há de esquecer...

Mas se esquecendo, rememora
Quer ter de volta no agora
Quem sabe até recomeçar
Há de voltar...

E pedir para compor enquanto é noite
Sem mais dores de açoite
Que concordou não mais sorver
Há de saber...

Que convidou a com viver
Há de sentir
Que ainda tem o que subir
Há de esquecer
O que precisa maldizer
Há de voltar
Quem sabe até recomeçar

5 comentários:

  1. IHHHHHHH,

    Eu senti um música com ritmo de baião (aquele forró mais lento do norte).

    Muito lindo! Arrasando hein!

    ResponderExcluir
  2. Los Hermanoooooooooos! Sem dúvida!

    Preciso me gabar aqui que li o rascunho (muito fino por sinal, digitadíssimo, super bem apresentável!) da Mattosquela!!!

    AMOOOOOOOOOO!
    Escritora nata!!!
    Que orgulho! Post mais rebuscado até agora na minha opinião!
    Pareço uma mãe vendo o filhinho cantar na festinha da escola! hahaha

    eeeeeeeeeeeh é Mattosquela! é Mattosquela!

    ;)

    ResponderExcluir
  3. A cada texto uma nova surpresa .Por falar em orgulho ,fico sim todo recompensado,vejo que esta indo muito bem .
    Tenho certesa que voce tem um grande futuro ,como profissional,pois como pessoa já tive provas que é um grande carater.
    Um grande beijo, te amo , Pai Beto.

    ResponderExcluir
  4. Que lindo o Pai Beto por aqui... saudades da filha agregada..rs!!

    ResponderExcluir
  5. Grande Mari
    Tambem tenho muito orgulho de voce minha agregada.
    Bjs Pai Beto

    ResponderExcluir