11 de maio de 2010

Um dia da NOVA Mariazinha


Mariazinha havia passado toda a noite lendo revistas femininas e tomando vinho. Decidiu que no dia seguinte seria uma mulher diferente. Ao acordar não sabia se realmente conseguiria por em prática tanto conteúdo, mas algo já havia mudado:  estava de ressaca e atrasada para o trabalho.
Mesmo com todos os compromissos diários sendo mantidos, Mariazinha não deixou de lembrar a todo tempo das “regras”. Não poderia atender o namorado, afinal era hora de virar o jogo “os homens amam as poderosas”. Volta e meia revia as fotos das diversas posições sexuais que deveria usar para enlouquecer seu gato, foi até ao banheiro treinar algumas. Comprou o sapato e roupas tendência para o inverno; fez a unha verde igual da atriz da novela; foi ao salão fazer escova de ácido sulfúrico; e passou o dia comendo uma farinha desengordurante.

A noite chegou e Mariazinha queria surpreender com seu novo visual. Mas estava exausta; faminta; ainda de ressaca; com uma distensão na virilha; unhas, sapatos e roupas totalmente diferentes da sua personalidade; o cabelo com um mau cheiro terrível; e agora era seu namorado que não a atendia. Ela enfim percebeu que não era assim a melhor maneira de mudar. Pensou em talvez partir para os livros de autoajuda na manhã seguinte. Seria melhor assim?   

6 comentários:

  1. Mariazinha, "diga-me com quem andas e te direi quem és".
    Mariazinha, "decifra-me ou te devoro".

    São duas frases boas para refletirmos, junto com o texto. Quem somos?

    Somos uma multidao de "eus" ? Temos apenas um "eu"?

    Acredito na multidão. Cada "eu" é diferente de outro, mas possuem sempre a mesma essência. É o que acredito. Sou um Thiago para a Fabíola; outro Thiago para a Dine; outro Thiago para minha mãe; outro Thiago para meu amigo Makako; etc.

    Cansamo-nos de alguns nossos "eus" ? Certamente. Mariazinha estava bem cansada de um "eu" ou de alguns "eus" e foi querer transformar-se. Mas... Havia essência dela em algum novo "eu" que quis criar ?

    Decifra-se! Sê tu! Sê teus "eus". Procure sempre ser teu melhor "eu" para que tu e todos saibam quem tu és !

    (Qual o melhor "eu" de cada um?)

    Não andes com aqueles que não espelhem seus "eus" - será devorado!

    Mariazinha, reflita! Mariazinha, critique-se ! Mariazinha, decifra-se! Mariazinha, seja você!

    Mariazinha, óh Mariazinha

    ResponderExcluir
  2. Mariazinha negou sua identidade...
    Talvez queira negá-la por algum motivo específico e ficou sem uma base na sua personalidade. Acontece...

    Melhor ela procurar o que a faz melhor né?
    Chuta tudo e vai viver Mariazinha!

    Belo enredo Mattosquelence, sempre!

    ResponderExcluir
  3. Mariazinha é burrinha!
    Ela tem q ligar o FODA-SE e ser ela sempre!

    ResponderExcluir
  4. o pior é pensar q essa mariazinha ai, é a cabeça que muitas de nossas mulheres brasileiras. O Brasil esta entre os países que mais investem em beleza.

    Será que somos tão feias assim?

    o que é preciso refletir n é quem realmente é mariazinha, é até onde queremos chegar com todos esses padrões ridiculamente impostos a nós mulheres, que ja somos lindas por natureza... E até onde essa estetica maluca importa pra sermos quem somos e nas nossas vidas...

    São mesmo para nós mulheres que essas revistas femininas são direcionadas? Ha quem realmente agrada essas transformações todas? Essas super dicas instrutivas... Tornaremos mulheres perfeitas? Perfeitas pra quem? Perfeitas pra que?

    ResponderExcluir
  5. Mariazinha, faça o que fizer, não pinte as sobrancelhas!

    Um beijo,
    Malu

    ResponderExcluir
  6. KKKK! Já trabalhei em revista feminina e era assim mesmo: textos malucos ensinando como a mulher ser poderosa. Impossível seguir todas essas regras! Ainda assim a revista vendia pra caramba!

    É... tem muita Mariazinha por aí querendo ser enganada com essas fórmulas miraculosas, esquecendo que a maior transformação é a interna.

    Texto maneiríssimo, parabéns!

    ResponderExcluir