16 de abril de 2010

Tantos antos



Portanto Conquanto No entanto
Entretanto Contanto

Tantos antos pares de antas e tantas
espécies de palavras: conjunções e advérbios
Que concluem; tornam contrapostas; condicionadas; adversas; e opostas
nossas idéias e nossas orações
Permeando de premissas,
condições e contrapontos
nossas vontades e nossas vidas



Por que será que complicamos tanto até o que poderia ser comum?
Se permita hoje dizer uma oração simples no lugar da composta. Sem impor condições, se agarrar a possibilidades, ao talvez, ao comportamento condicionado, ao “só digo se ouvir”.
Vamos tentar?

5 comentários:

  1. Foi através de meus avós maternos que aprendi a gostar das coisas simples da vida. Talvez pela vida simples que viviam, longe da cidade urbana que crescia... Certamente, fui educado para ser uma pessoa que admirasse a simplicidade. É dela que tento construir minha vida. Não ignoro as complexidades que podem fazer bem à vida, mas... é na simplicidade que escolhi viver: um bom caráter; uma mulher; uma família; um amor.
    Às vezes penso ser uma pessoa comum, quiçá piegas - e bate um receio daqueles que não gostem de pessoas comuns venham a não admirar aquilo que sou. Mas, salvo por amigos, vejo que o comum que sou é exatamente aquilo que eles querem. Que os bons querem. Eu e meus amigos somos bons. E não há nada tão verdadeiramente simples quanto uma amizade: leal e emotiva. Obrigado por dar-me esta amizade simples, Fá.

    ResponderExcluir
  2. Apenas uma palavra pra esse texto: FODA.

    Ponto final.

    ResponderExcluir
  3. Caramba, de onde vc tira tantas rimas perfeitas? Adooooooooro tudo o que vc pinta com palavras. ARTE PURA!

    Beijos!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Thiago você é o responsável por ter me cativado, não tem que agradecer.

    Vi e Ana, obrigada pelo apoio de SEMPRE!

    ResponderExcluir
  5. Adorei o "pinta com palavras" não gosto de dizer que faço poesia – muita responsabilidade, essa expressão é uma boa saída! ;-)

    ResponderExcluir